Porsche 911 GT3 R vence os 500 Km de São Paulo – Troféu Stuttgart 20 anos

Marcel Visconde, Ricardo Maurício e Max Wilson venceram no último sábado (23) a 33ª edição dos 500 Km de São Paulo. O trio, que competiu com um Porsche 911 GT3 R #20, assumiu a liderança da corrida ainda na segunda das 146 voltas de prova no Velo Città e, exceto na primeira janela de paradas nos boxes, jamais deixaram a primeira colocação, garantindo a vitória em uma tarde de muito sol e calor em Mogi Guaçu (SP).

Após o abandono prematuro do pole, o belíssimo protótipo AJR com motor V8 de Stock Car #28 de Juliano Moro/ Cristiano de Almeida/ Carlos Eduardo por uma quebra da ponta do eixo traseiro, o Porsche GT3R único no Brasil, trazido especialmente para a corrida, teve uma corrida tranquila. O único carro que poderia ameaçar os líderes, outro protótipo de #117 também abandonou com problemas mecânicos Fernando Fortes/ Emilio Padron/ Renan Guerra.

Henrique Assunção, Fernando Ohashi e Fernando Fortes levaram um protótipo MR18 ao segundo lugar geral, três voltas atrás dos vencedores, e triunfaram na categoria P2. Sérgio Pistilli e Valter Pinheiro completaram em terceiro com um Spyder, faturando a vitória na classe P3. Fernando Poeta, Ney Faustini e Roger Sandoval, que conduziram uma Lamborghini, completaram em quarto, à frente de Tiel de Andrade e Franco Pasquale, dupla que enfrentou problemas com o protótipo MC Tubarão.

Na GT2, Marco Scalamandré, Rodrigo Garcia e Ricardo Landi alcançaram a vitória com um Mitsubishi Lancer depois de terminarem na 15ª colocação geral.

O resultado foi especial de maneiras diferentes para os pilotos do Porsche: Max alcançou a terceira vitória na prova, igualando-se a Celso Lara Barberis e Luiz Pereira Bueno. Visconde e Ricardinho conquistaram o título do Dopamina Endurance Series ao triunfarem pela quarta vez em cinco corridas na temporada 2017 do campeonato de corridas de longa duração.

“É incrível se juntar a Luiz Pereira Bueno e Celso Lara Barberis, que são pilotos que não são da minha época, e igualar o recorde deles é uma honra”, disse Max, que destacou o fato de ter tido um stint dos mais tranquilos, uma vez que Marcel e Maurício haviam aberto uma grande frente em relação aos concorrentes.

Ricardo Maurício lembrou a batalha que teve com o AJR de Juliano Moro, Cristiano de Almeida e Eduardo Scheer. “A corrida foi um pouco intensa por conta da disputa com o Souza. No começo eu fiquei umas três voltas atrás dele, e começou a vazar um pouco de óleo do carro dele, e eu não sabia realmente o que era. Tinha uma diferença de carro, a gente via que nas retas eles abriam bem, nas curvas de alta eles vinham rápido, e nas de baixa a gente tinha grande vantagem. Consegui me posicionar bem, ultrapassá-lo, e, na sequência, eles tiveram uma quebra de suspensão. Infelizmente, pois seria uma grande disputa até o final”, disse o piloto.

“Quando a gente abriu uma grande vantagem para o segundo colocado, a gente definiu que quem receberia a bandeirada e o título fosse quem construiu tudo isso para nós, que foi o Marcel”, completou Maurício, que alcançou seu nono título na carreira, sendo o primeiro em corridas de longa duração.

Marcel Visconde, que além de piloto é chefe da equipe, celebrou a segunda vitória nos 500 Km e o título do Dopamina Endurance Series. “Já ganhei algumas provas com a Porsche, e o dia de hoje é a coroação de tudo o que a gente fez e investiu. Tem essa combinação da vitória em uma corrida emblemática dos 500 Km e o título do Endurance, além dos 20 anos da Stuttgart. É uma combinação muito agradável e satisfatória de terminar um campeonato ganhando a corrida, e se sentir recompensado por tudo aquilo que a gente fez, investiu e gastou de tempo. A gente não vai se esquecer por muito tempo”, disse o piloto.

Mais uma vez o calor foi intenso com 32 graus na hora da largada (com sensação de 40) e 62 graus na pista. O tempo seco, 19% de umidade do ar, causou algumas peculiaridades que estenderam a prova quase ao seu limite de tempo. Como a grama do Velo Città estava esturricada, o perigo de incêndio com o carro parado em áreas de escape era muito grande e toda vez que algum piloto parava nestes locais, o safety car era acionado. Inclusive, no briefing, os pilotos eram instruídos a evitar ao máximo parar em cima da grama.

Resultado final dos 500 Km de São Paulo – Troféu Stuttgart 20 Anos (cinco primeiros e vencedores de categorias):

1º – Marcel Visconde/Ricardo Maurício/Max Wilson (Porsche/GP1) – 139 voltas em 3h52min02s999
2º – Henrique Assunção/Fernando Ohashi/Fernando Fortes (MR18/P2) – a 4 voltas
3º – Sérgio Pistilli/Valter Pinheiro (Spyder/P3) – a 7 voltas
4º – Fernando Poeta/Ney Faustini/Roger Sandoval (Protótipo Lamborghini/GP1) – a 9 voltas
5º – Tiel de Andrade/Franco Pasquale (MC Tubarão/GP1) – a 9 voltas

Vencedores outras categorias

6º – Sérgio Ribas/Henry Visconde (BMW/GT1) – a 10 voltas
14º – José Rodrigo Pereira/Marcos Bariano/Renan Casetta (Línea/GT2) – a 30 voltas

Fotos:
Ricardo Varoli

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *