Indy – Começa a Movimentação de Equipes e Pilotos

2012 IndyCar Sao Paulo

Nesta quinta-feira, a São Paulo Indy 300 começou para valer. Os mecânicos desempacotaram os carros e os pilotos brasileiros fizeram a primeira entrevista coletiva.

Entre os pilotos, como sempre, o clima foi de bom humor, com Bia Figueiredo brincando com a lesão de Tony Kanaan, fazendo referência a fratura que sofreu na mão direita ano passado.

Helio Castroneves vem como favorito para quebrar a sequência de vitórias do companheiro de equipe, o australiano, Will Power. Ele ressaltou que o clima dentro da equipe Penske é de rivalidade, mas de uma maneira saudável, compartilhando até informações de acerto carro:

“Dentro da equipe há uma rivalidade, mas ela é muito saudável. Nossa relação é bem aberta quanto ao acerto do carro e como em discussão sobre traçados e outras coisas. As estratégias acabam sendo diferentes, e é o que acontece hoje na Indy. A torcida sempre dá um apoio muito forte, e vamos tentar parar o nosso companheiro de time”, disse Helio, que lidera o campeonato.

Outro destaque foram as palavras de Greg Gruning, vice-presidente da Fórmula Indy, rasgando elogios ao circuito do Anhembi:

“É sempre uma satisfação muito grande vir a São Paulo, que é um mercado enorme para nós. Usamos o combustível brasileiro, temos um brasileiro liderando o campeonato, outro chegando à sua 200ª largada consecutiva (Tony Kanaan), e a Bia encaixando uma boa sequência de corridas. Além disso, temos um grande suporte dos organizadores e do público aqui”.

A São Paulo Indy 300 já é a segunda corrida em termos de audiência, perdendo somente para as 500 Milhas de Indianápolis, que junto das 24 Horas de Le Mans, é a corrida mais tradicional do automobilismo mundial. Kanaan ainda falou: “Como presidente da associação de pilotos da Indy, eu cansei de frisar que a categoria deveria usar esta pista como exemplo para qualquer circuito de rua no mundo”.

Brasileiros: Tony Kanaan, Bia Figueiredo e Helio Castroneves

Brasileiros: Tony Kanaan, Bia Figueiredo e Helio Castroneves

Os pilotos comentaram sobre as melhorias contínuas da pista: “Aqui no Brasil, o pessoal é muito ágil e consegue mudar o que nos incomodava antes. A Indy tem essa característica de correr em circuitos ondulados, mas daí passar por cima de trilho, como aconteceu em Baltimore no ano passado, já é um pouco demais. O Anhembi é um exemplo de circuito de rua para os Estados Unidos, e espero que um dia eles possam analisar a nossa pista com mais carinho para usar isso lá”, disse Castroneves.

A principal mudança no circuito para este ano foi no “S” do Samba. O trecho foi alargado para aumentar a segurança em relargadas e a velocidade dos carros. Além disso, as zebras tiveram a altura reduzida.

Ainda sobre a lesão na mão de Tony Kanaan, o piloto declarou: “Mas nem que for com uma mão só. Vou engolir a dor e tentar. É algo que realmente incomoda. São três lesões diferentes em três pontos da mão. Vai doer, agora resta saber o quanto vai doer e o quanto eu vou suportar. Pelo menos ela agradece a diminuição das zebras”. Ele mostrou fazer jus ao título de “Homem de Ferro”, dado por ninguém menos que Jimmy Vasser, recordista com 211 largadas consecutivas, recorde que pode ser batido pelo brasileiro que faz sua largada de nº 200 em São Paulo e que não pensa em aposentadoria.

Fotos:
Michael Lewitt/LAT
Vinicius Branca/ Fotoarena

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *