Glória Imortal

O Barão, a direita, com seu eterno bigode, junto de Eloy Gogliano e da taça das Mil Milhas.

O Barão, a direita, com seu eterno bigode, junto de Eloy Gogliano e da taça das Mil Milhas.

Hoje faleceu, aos 92 anos, o grande Wilson Fittipaldi, o Barão, uma das pessoas mais importantes do automobilismo e jornalismo brasileiros.
São inúmeras suas contribuições para o esporte, como a narração da corrida com a primeira participação de um brasileiro, o também finado Chico Landi, no circuito de Bari, na era pré Fórmula 1, em 1948. Também foi dele a ideia da lendária Mil Milhas Brasileiras, inspiradas na Mille Miglia italiana que ele assistiu em 1949.
O patrono da família Fittipaldi colocou seus dois filhos para correr, abrindo as portas para os volantes tupiniquins mostrarem seu talento ao mundo. Emerson foi nosso primeiro campeão, e soubemos disso pela narração inesquecível do Barão pela rádio Panamericana, em 1972.
Suas realizações foram tantas que merecem um livro, que mesclaria sua história com a do automobilismo, pois sem ele as coisas seriam bem diferentes por aqui.
Nunca o esqueceremos, e sempre lhe agradeceremos. Sua glória será imortal.
Obrigado por tudo Barão. Hoje choramos, mas por lembrarmos de todas as alegrias que nos trouxe.

One thought on “Glória Imortal

  1. Pingback: Classic Cup #2 | GearHeadBanger

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *