24 Horas de Le Mans: O maior Espetáculo da Terra!

Recentemente eleita pela National Geographic como maior evento da Terra, a corrida anual de Le Mans tem uma história fantástica que comprova o título que a deixou à frente dos Jogos Olímpicos e da Copa do Mundo de Futebol.
Localizada a 208 km de distância de Paris, a pequena cidade de Le Mans vira o epicentro da mais lendária corrida de automóveis que a humanidade conhece.
A corrida conta com vários tipos de carros divididos em categorias distintas que correm durante 24 horas pelo Circuit de la Sarthe, que tem exatos 13.629 m.

O Circuito

O Circuit de la Sarthe em vermelho

A corrida é disputada desde 1923 em um circuito misto, que utiliza parte do Circuito Bugatti e parte das rodovias D338, D140 e D139 na França. O conjunto todo é chamado de Circuit de la Sarthe.
Os carros largam na reta dos boxes do circuito Bugatti, fazem a curva Dunlop, depois para a chicane Dunlop. Seguindo, vem os Esses e a Tertre Rouge que liga a parte do circuito a via pública, que é fechada (óbvio) durante a corrida.
Continuando, vem a parte mais famosa do circuito, a reta Mulsanne, sobre a qual já falei no post dos nomes das curvas. Ao fim dela, os carros chegam a curva Mulsanne e então começa a volta para a cidade Le Mans, por outra longa reta que termina nas fechadas curvas Indianápolis e Arnage. Contornadas estas, outra reta até as rápidas curvas Porsche, depois para as travadas chicanes Ford e finalmente para a reta de largada.

Houve várias modificações ao longo desses 89 anos de corrida, sendo a última em 2007, e a mais famosa em 1990, quando “quebraram” os 6 km da reta Mulsanne adicionando duas chicanes. Isso foi feito devido às normas de segurança da FIA, que determinam que não pode haver reta maior do que 2 km, sendo assim a Mulsanne virou três retas.

Mapa do Circuit de la Sarthe

Vamos de carona com Johnny Herbert a bordo do lendário Mazda 787B em 2011:

A corrida

Como o próprio nome diz, são 24 horas, independente de voltas ou quilometragem. Mas calma, um piloto precisa descansar. Então cada carro tem três, que se revezam ao longo da prova.
Existem peculiaridades bem interessantes se compararmos, por exemplo, à uma corrida de F1. Um pit stop de um minuto é bom tempo. Imagine, são trocados os pneus, colocado combustível, dão uma “guaribada” no para-brisa, fazem uns ajustes e mudam os pilotos. Também não é difícil ver mecânicos dando umas “marretadas” nos carros após acidentes menores.
As regras também são especiais. Para abastecimento, o carro tem que ser desligado e não podem ser trocados pneus ou qualquer serviço no carro, até que a mangueira seja desconectada. Mas pode haver a troca de pilotos. Esse liga desliga torna os carros ainda mais incríveis (imagina ligar e desligar um F1 toda vez que para no box).
Ocorrem também fatos que em uma corrida seriam um tanto esdrúxulos, como no ano passado, em que o Audi guiado por Marcel Fässler, André Lotterer e Benoît Tréluyer teve que parar no boxe por causa de insetos. Isso mesmo, insetos. O fato se deu porque durante a noite o carro atropelou tantos que quando o Sol começou a nascer não se enxergava nada!
Aliás, fica uma boa dica, isso aparece no fantástico documentário da Audi “Truth in 24 II: Every Second Counts” que pode ser visto aqui. O primeiro é igualmente emocionante.

Os carros

São divididos em categorias, as deste ano são:
• LMP1 (exemplo: Audi R18 e-tron quattro, Toyota TS030 Hybrid)
• LMP2 (exemplo: Oreca 03-Nissan, Lola B12/80-Nissan)
• LMGTE-Pro (exemplo: Ferrari 458 GTC, Chevrolet Corvette C6.R)
• LMGTE-Am (exemplo: Porsche 997 GT3-RSR, Aston Martin Vantage GTE)
E ainda a participação especial do, no mínimo estranho, DeltaWing da Nissan.

Outra coisa interessante, um Porsche 997 parece uma lesma perto de um Audi R18, que dá sinal de luz para pedir passagem. Às vezes não dá certo, como sentiu na pele Mike Rockenfeller em 2011.

Audi R18 no túnel de vento

Os carros são máquinas incríveis, principalmente os mais velozes, da LMP1 (Le Mans Prototype 1). São carros feitos para esta corrida, com o propósito de sobreviver andando 24 horas a uma média de 220km/h com o acelerador no fundo 85% do tempo.

São tantos carros míticos que passaram pelo circuito que levaria uns mil posts para descrever metade, mas podemos citar o Bugatti Type 57G de 1937 (primeiro da marca a vencer), a Ferrari 166MM (deve lembrar dela do post sobre o Commendatore), o elegante Jaguar C-Type (primeiro a ultrapassar os 4 mil quilômetros), a Ferrari 250 (que hoje valem dezenas de milhões de dólares), o Ford GT40 que acabaou com a alegria dos Cavallinos, os protótipos da Porsche… Bom, a lista é longa.

Fords GT40 Mk. II que acabou com a alegria da Ferrari em 1966

Mais recentemente, vale lembrar de alguns dos meus prediletos, o Mazda 787B, de 1991, com seu motor Wenkel, do McLaren F1 GTR, de 1995, que ganhou dos protótipos em seu ano de estreia, e do Audi R10 TDI, de 2006, que começou a era diesel.

Falando em diesel, o combustível impera, desde 2006, sempre chegando na frente, mas não espere carros soltando fumaça preta, nem fazendo barulho de caminhão, como disse no post das 1000 Milhas de Interlagos. Se ouve mais o som dos pneus e do vento do que do motor.

Mazda 787B que venceu em 1991

Para se ter uma ideia do martírio à que esses carros são expostos, um motor de F1 deve rodar aproximadamente 2 mil quilômetros em dois finais de semana completos, isso com paradas e revisões. Os motores dos carros de Le Mans tem que suportar em torno de 5 mil km só de corrida.

Os carros, assim como os de F1, são perfeições aerodinâmicas, e existem duas regras em particular que fazem com que os carros tenham a aparência que tem: tem que haver dois lugares (mesmo ninguém sentando no passageiro) e nenhuma parte mecânica pode ficar exposta.
Este ano ainda estreiam os carros híbridos da Toyota e da Audi, com um sistema parecido com o KERS da F1. Nos Audi R18 e-tron quattro, é interessante notar que o sistema foi acoplado às rodas da frente, fazendo com que todas as quatro rodas do carro gerem tração, mesmo que momentaneamente.

Sobreviva à Le Mans

O modo de dirigir nas 24 horas é diferente de uma corrida comum, não há máquina, ou ser humano, capaz de aguentar tanto tempo dando 100%. Os pilotos têm que pensar que precisam passar o carro para outro piloto, ainda com freios, motor, caixa de câmbio e todo resto, inteiro.
A estratégia é um fator de extrema importância, como se pôde ver no primeiro documentário da Audi, “Truth in 24”, em que a equipe só ganhou a corrida de 2008 em cima da Peugeot por causa de uma troca de pneus.
É necessário achar o ponto ideal para não ir nem muito devagar, nem destruir o carro nas primeiras horas. Isso cria uma tensão enorme na equipe inteira, porque com uma prova tão longa, um segundo no início pode virar uma volta no fim. E mais, deve ser a coisa mais frustrante do mundo ter um problema mecânico ou mesmo um acidente depois de 23 horas e meia de corrida.

Cockpit de um Audi R18: “conforto” sempre em primeiro lugar

Falando em acidentes, o Circuit de la Sarthe já cobrou várias almas nestes 89 anos. Foram 21 pilotos mortos, inclusive um brasileiro, Christian “Bino” Heins, em 1963.
A corrida também foi palco da tragédia mais horrenda da história do automobilismo.
Em 11 de junho de 1955, Pierre Levegh pilotava seu Mercedes-Benz 300 SLR quando se chocou com o Austin-Healey 100 de Lance Macklin. O piloto foi arremessado para fora do carro e morreu, enquanto pedaços em chamas do 300 SLR caíam no espectadores, matando 83 pessoas. Foi um dia tão horrível que a Mercedes retirou-se oficialmente do automobilismo, só voltando em 1989, para ganhar com o incrível Sauber C9.

Quando é?

A corrida normalmente ocorre no mês de junho, e este ano a largada será no dia 16. Isso mesmo! É amanhã!
Infelizmente, ver Le Mans é complicado. Se você não tem alguns milhares de Euros para ir até lá, se prepare, já que nenhum canal de TV brasileiro se dispõe a passar a corrida das 10 horas da manhã de sábado até às 10 da manhã de domingo. Afinal, Raul Gil e Luciano Hulk são muito mais importantes… Ahã…
De qualquer maneira, o gearhead de plantão se vira. A SporTV prometeu flashes da corrida, mas nós temos a democrática Internet!

Vamos aos sites, porque “Every Second Counts”!
Le Mans TV
Câmera onboard dos carros da Audi
Câmera onboard dos carros da Corvette e algumas câmeras do Speed Channel.

No site oficial, também tem o live timing.

Deixando claro: largada em 16 de junho de 2012, 10 horas da manhã.

Ainda dá para correr atrás (Google, meu filho!) do sinal do Eurosport em Justin.TV’s da vida. O Eurosport é o único canal a cobrir a corrida toda.
Também vale a pena ficar ligado na internet, porque sempre tem alguém enviando notícias durante a prova.
E não se esqueçam que tem brasileiro no grid! Jaime Melo irá correr com a Ferrari 458 GTC número 59 ao lado do francês Frédéric Makowiecki e do alemão Dominik Farnbache. Eles conseguiram o melhor tempo na LMGTE-Pro!

Não se esqueça de ter em mãos a lista oficial de carros e pilotos  e o guia das pinturas dos carros (alta resolução, média ou em baixa logo aí em baixo) .

Bom, isso foi a ponta do iceberg de Le Mans, para contar todas as histórias precisaria escrever uma série de livros e fazer uma série de documentários. Minha intensão com esse post é somente de instigar vocês a pesquisarem mais sobre a corrida.

Espero um dia encontrar vocês nas arquibancadas francesas!
E não se esqueçam de que teremos aqui em setembro as 6 Horas de Interlagos!

Fonte das fotos:
http://www.racedepartment.com/wp-content/uploads/gigapiclemans24.jpg
http://media.cms.windingroad.com/autos_db/uploads/image/800px-Circuit_de_la_Sarthe_track_map.svg.png
http://www.carsbase.com/photo/Audi-R18_mp4_pic_77357.jpg
http://stadium.weblogsinc.com/autoblog/videos/HiRezPics/tw_11_07_23e_HR.jpg
http://www.carsbase.com/photo/Mazda-787B_mp34_pic_43708.jpg
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/3a/Cockpit_of_Audi_R18_TDI_-_Flickr_-_Supermac1961.jpg
http://www.spotterguides.com/wp-content/uploads/2012/06/2012_LM_S1_V1_M.jpg
http://www.spotterguides.com/wp-content/uploads/2012/06/2012_LM_S2_V1_M.jpg

3 thoughts on “24 Horas de Le Mans: O maior Espetáculo da Terra!

  1. Leandro Bertolino

    Mano esse video do 787b é foda demais!!!!! Muito loko, o melhor barulho de carro de todos!!! O foda é que foi proibido! e a mercedez realmente voltou com tudo!!! aquele sauber C9 era muito animal!!

    Reply
  2. Pingback: 6 Horas de São Paulo | GearHeadBanger

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *