Sauber corta carro de F1 ao meio

Ontem a Sauber lançou um vídeo apresentando o resultado de seu trabalho de dois anos: cortar um F1 ao meio como uma maçã.
O vídeo deixa qualquer GearHead(Banger) enlouquecido! É possível ver, finalmente, todo o carro e com uma explicação básica de Matt Morris, designer chefe da equipe, e Sergio Pérez mostrando a posição “confortável” em que os pilotos ficam durante um final de semana inteiro.

O carro em questão é o F1.08, de 2008, último ano da era BMW. Foi pilotado por Nick Heidfeld e Robert Kubica, que conseguiram levar a Sauber ao terceiro lugar no campeonato de construtores.

O senhor Morris começa sua explicação pela posição dos componentes do carro, de trás para frente: caixa de câmbio, embreagem, motor, tanque de óleo (poderiam dar mais closes nessas primeiras partes), tanque de combustível, assento do piloto, sistema eletrônico, pedais e sistema de direção.

Sistema de direção

“A interface do carro para o piloto”

Ele mostra o sistema começando com uma explicação básica do volante (ver completa aqui), passando pela barra de direção até o pinhão e cremalheira (à frente dos pedais) que segundo as palavras dele “é igual a um carro de rua, só que menor e mais leve”. Notem a espessura da barra de direção.

Tanque de combustível

Câmaras e mangueiras garantem o fluxo de combustível

Logo atrás do assento do piloto, há um sanduíche de colmeia de alumínio e fibra de carbono (dúvidas sobre isso clique aqui) que o separa do tanque de combustível, feito em Kevlar, sendo deformável e praticamente indestrutível.
Dentro existem vários compartimentos com mangueiras, que garantem o fluxo do combustível mesmo nas absurdas forças G que um Fórmula 1 consegue atingir. Explicando, durante uma curva com alto G (aceleração lateral) a gasolina ficaria achatada de um lado do tanque, o que cortaria o fluxo.

Cockpit

O carro é a armadura do piloto em fibra de carbono

O piloto vai sentado a 10mm do asfalto (!!), isso porque um carro de F1 é projetado de maneira a que todos os componentes fiquem o mais baixo possível, o que melhora o centro de gravidade e em consequência a capacidade de fazer curvas.
Sérgio Perez ainda fala sobre o “conforto”, e Morris brinca que para o ano que vem podem melhorar um pouco.

Segurança

Extintor de incêndio de um F1

Logo abaixo das pernas do piloto há um pequeno extintor de incêndio que pode ser acionado por ele, ou pelos comissários de prova.
É impressionante a espessura da fibra de carbono, finíssima, e mesmo assim aguentando colisões que em um carro de rua causaria morte instantânea de seus ocupantes.
O carro é uma armadura em volta do piloto (se o Skoda de Kubida também fosse assim…). É quase impossível imaginar como essa fina casca protegeu Perez em Mônaco.

Por fim, assistam o vídeo fantástico. Vale a pena ver “trocentas” vezes para apreciar cada detalhe em fibra de carbono.
Só faltou explicar a maçã, que é um sistema que não entendi.

Créditos das imagens: Sauber F1 Team

7 thoughts on “Sauber corta carro de F1 ao meio

  1. Giovani Teixeira

    Sem dúvidas, incrível.

    Muito bem explicado, por sinal.

    Só um detalhe a respeito do Fabia de Robert Kubica: Embora longe de um carro de fórmula 1 e sua segurança, o Skoda Fabia é um carro muito forte. Morei na Tcheca até 2002 e me envolvi num acidente com meu pai indo de Brno a Budějovice (České), terra de nossa amada Budweiser (que, ao contrário do que pensam, foi fundada na checa, não nos EUA). Se sobrevivi foi por causa da resistência do "Gol da terra das mulheres mais belas do mundo". Batemos numa árvore e o carro resistiu bem.

    Reply
    1. Ricardo Varoli-GearH

      Muito obrigado Giovani!

      Brno? Humm por acaso estavam no Masaryk? Também pensei que a Bud era americana, se bem que sempre fico me perguntando o porque do gosto "lager europeu", agora já sei porque. Aliás, descobri que Budweiser é um adjetivo alemão para algo que venha da cidade de České Budějovice (segundo wikipedia). Obrigado pela informação, serve bastante para um "BeerHeadBanger" como eu.
      Ainda bem que o Fabia segurou no acidente de vocês, o do Kubica também estava preparado, mas acho que nenhum engenheiro previu que uma "lança" de puro aço iria entrar pela cofre do motor. Foi um acidente em 1 milhão, como o de Senna. Infelizmente, acho que Kubica não volta mais.
      Espero que você e seu pai não encontrem mais árvores pelo caminho! Só as “mulheres mais belas do mundo” .

      Reply
  2. Pingback: Fim de Semana Cheio de Velocidade | GearHeadBanger

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *