Guia básico das novidades automotivas

A cada dia vemos mais e mais equipamentos que nos ajudam a dirigir nossos possantes. ABS, EBD, controle de tração, etc. viraram itens de série até em carros mais básicos, claro que não no Brasil, mas estamos evoluindo.
Mas a grande questão: você sabe como funcionam essas “modernidades”?
O GearHeadBanger explica algumas delas de forma simples e rápida!

ABS, EBD e ESP

Do inglês anti-lock braking system (sistema antitravamento de freios), o ABS impede que as rodas travem em uma freada brusca. Se as rodas do carro travam em uma situação de emergência, o carro precisará de uma distância bem maior para frear e ainda fará com que o motorista perca o poder de virar o carro, ou seja, o carro vai para qualquer lado, menos aquele que você deseja que ele vá.
O ABS funciona soltando e apertando as pastilhas de freio contra o disco. Uma central eletrônica detecta que uma ou mais rodas estão travando e solta o freio e o aperta novamente. Tudo isso em até 15 vezes por segundo.
A ideia é bem antiga, o primeiro sistema foi feito para aviões em 1929 pelo engenheiro francês Gabriel Voisin. Só chegou aos carros de rua na década de 1970.

O EBD, electronic brakeforce distribution (distribuição eletrônica de força de frenagem), é um sistema que trabalha junto ao ABS, distribuindo a força de frenagem. O EBD controla a força aplicada a cada roda levando em conta as condições da pista, carga do carro e velocidade.

Já o ESP, eletronic stability system (sistema eletrônico de estabilidade), monitora todas as rodas o tempo todo, não apenas em freadas, checando se uma delas está perdendo aderência. Quando isso acontece, em uma curva ou desvio brusco, por exemplo, ele freia automaticamente a roda que está sem aderência, corrigindo assim a trajetória do carro.
Um sistema interessante é utilizado no McLaren MP4-12C, que freia a roda do lado de dentro da curva ajudando o carro a não sair de frente e, consequentemente, aumentando a capacidade de fazer curvas. Esse sistema foi desenvolvido na Fórmula 1, mas logo foi proibido.

Veja abaixo o vídeo da Bosch:

Cruise control

Porcamente conhecido como piloto automático, é um sistema que mantém uma velocidade pré-programada. Se você está viajando em uma estrada com limite de 100km/h, por exemplo, pode definir a velocidade e soltar o pé do acelerador que o carro irá acelerar e desacelerar sozinho. O sistema é desligado assim que o motorista freia ou acelera o carro.
Disse antes “porcamente”, porque você não pode ligar o controle e começar a ler um jornal, o motorista ainda terá de virar o carro e ficar atento para uma emergência.

Monitores externos

Começaram com os simples sensores de estacionamento, que funcionam avisando o motorista de um obstáculo.
A partir disso, foram criados os sensores de ponto cego e de mudança de faixa. O primeiro avisa quando um carro está no ponto cego do motorista, por meio de um pequeno ícone acendendo no espelho retrovisor acompanhado de aviso sonoro. O segundo detecta uma mudança de faixa não esperada, por meio de algum sinal sonoro ou fazendo o volante vibrar. Aquele motorista “come faixa” que paga dois IPVAs dirigiria bem melhor com um desses.
Esses sistemas estão bem evoluídos e agora permitem que um carro ande sozinho no anda para de um congestionamento e até fazem baliza para estacionar.

Abaixo um vídeo da Quatro Rodas explicando o park assist do VW Tiguan:

Faróis Xenon

As lâmpadas de xenônio substituíram as de halogênio, sendo muito mais eficientes. Funcionam criando um arco elétrico dentro de bulbo preenchido com gás xenônio, daí o nome.
Esse tipo de lâmpada consegue uma luz muito mais branca que a antiga e uma temperatura de cor mais próxima a da luz solar.
Além disso, permitem maior variedade no desenho dos faróis que podem ser mais compactos e até direcionáveis como no caso do Citroën C4, acompanhando os movimentos do volante e iluminando melhor as curvas.
Para terem máxima eficiência, precisam ser usados junto com as lentes elipsoidais, que ficam na frente da lâmpada e organizam o facho de luz de forma precisa, tornando possíveis faróis bem pequenos como os do Fiat Marea.
Os faróis bi-xenon são os que usam a tecnologia tanto para luz alta como para luz baixa. Antes só eram usados em luz baixa porque demoravam a acender e não podiam ser usados para dar os flashes de aviso do farol alto.
Esse tipo de lâmpada foi utilizada pela primeira vez no BMW Série 7 em 1991.

O olhar psicótico do BMW M3

Faróis de LED

O LED, light-emitting diode (diodo Emissor de Luz), é a última tecnologia em termos de iluminação. Utilizam os LEDs no lugar das lâmpadas e normalmente são usados em conjunto com faróis de xênon, na dianteira. Na traseira já são comuns faróis internamente feitos com LEDs.
Tem boas vantagens como o poder criar um conjunto ótico com praticamente qualquer desenho, terem boa visibilidade e consumir pouca energia, além de terem grande vida útil.
São bastante utilizados nos carros da 24 Horas de Le Mans, com desenhos bem bacanas.

Audi 8 possui faróis dianteiros totalmente em LED

Start Stop

Sistema que funciona desligando o carro em um congestionamento ou quando este permanece por muito tempo parado e religando depois, logo que o motorista acelera.
Isso reduz emissões e poupa combustível.

Mais um filme da Bosch para explicar melhor:

Veículos híbridos

Veículos híbridos utilizam dois motores, um a combustão e outro elétrico. O carro mais vendido é o Toyota Prius que também foi o primeiro desse tipo a ser fabricado em massa.
Existem algumas combinações para ação dos motores, em alguns carros o motor elétrico é usado somente em baixas velocidades, como no “anda-para” do transito. Em outros o motor principal é o elétrico que é carregado pelo motor à combustão, como no Chevrolet Volt.
Para carregar as baterias, também podem ser usados freios regenerativos, algo parecido com o KERS da Fórmula 1.

Fisker Karma: esportivo híbrido que possui painéis solares no teto.

Mais alguma dúvida? É só perguntar!

Fonte das fotos:

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/81/KITT_Interior_at_Toronto_Auto_Show_2011.jpg
http://www.lyonssystemsserver.com/breakerpro/1038/1038-201011-153726-391-010-PTIMG.jpg
http://image.europeancarweb.com/f/27969832/epcp_1003_05_o+2008_eas_bmw_m3_and_135i+headlights.jpg
Audi A8: Ricardo Varoli – GearHeadBanger
http://a.img-zemotoring.com/media/news/2011/02/fisker-karma.jpg

One thought on “Guia básico das novidades automotivas

  1. Pingback: Sobre Carros Elétricos e Sua Popularização | GearHeadBanger

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *